segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Contei os Anos que Tenho...

Contei os anos que tenho e descobri que tenho ainda outro tanto tempo para viver do que já vivi até agora. Tenho tanto passado como futuro. Sinto-me repleta de esperança. Só que agora, já não tenho tempo para lidar com mediocridades, falsidades e maldades. Não quero estar em reuniões onde desfilam egos em fila. Inquieto-me com invejosos que tentam destruir o que nos admiram, cobiçando os nossos talentos a nossa família, os nossos colegas de curso e a nossa sorte. Já não tenho tempo para conversas intermináveis, para discutir assuntos inúteis sobre vidas alheias que nem fazem e nem nunca fizeram parte da minha. Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar da idade cronológica, são imaturos hipócritas e desleais…Detesto fazer angariação de publicidade, de desafectos, na luta pela conquista do majestoso cargo de secretário geral do coral, ou de presidente da câmara, ou presidente seja lá do que for. Lembro-me agora de quem afirmou que 'As pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos'. O meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos… eu quero a essência da vida, a minha alma tem pressa dessa conquista. Quero estar ao lado de gente humana, muito humana; que sabe rir dos seus tropeços, e, não se encanta com triunfos; gente, que não se considera eleita antes da hora,e, não foge da sua felicidade. Quero caminhar perto das coisas e das pessoas de verdade, porque a essência do essencial faz a vida valer a pena.
O tempo e a vida ensinaram-me que Deus sempre soube de tudo o que precisei...
Se não recebi a maioria daquilo que queria foi porque não soube chegar até lá e não conquistei...ou porque algum dia me enganei... Aprendi com o tempo que muitos dos que me sorriram e bateram nas costas dizendo ser meus amigos realmente nunca o foram... Aprendi com o tempo que a inveja é a alma do incapacitado, e que, o invejoso admira sempre aquele que possui algo que ele não tem , mantendo assim o admirado sempre no foco de seus pensamentos ausentes de brilho e de luz... Aprendi que por pior que seja uma situação, ela pode ficar ainda pior se nos entregarmos ao desespero e à falta de fé... Ponha a mão no peito e sinta as batidas do coração. É esse o relógio da vida tictaqueando a contagem regressiva do tempo que resta. Um dia ele parará. Isso é cem por cento garantido e não há nada que possamos fazer a esse respeito. Se passarmos o tempo em cima do muro, acabaremos por não dar o salto no pouco tempo que resta (Sem falar, claro, no cuidado que devemos ter, pelo perigo das farpas dos lugares inconvenientes.) Como diz o povo : 'não se salta uma fenda em dois pulos'. É preciso coragem e muita força. (Claro, também é preciso lembrar onde acaba a coragem e a força, e começa a estupidez…) A verdade é que todos nascemos com um forte potencial para a grandeza, nascemos abençoados como as flores, mas, infelizmente, muitos de nós, preguiçosos e indolentes , preocupados demais com o que os outros possam pensar, com medo demais de usar todos os nossos talentos e todos os nossos potenciais, acabamos por viver abaixo do nosso escalão humanitário e humilhados e sentenciados pela sociedade e pelos humanos diversos, cada vez mais perversos e malfeitores.

Um comentário:

Paulo Sempre disse...

«Contei os anos que tenho e descobri que tenho ainda outro tanto tempo para viver do que já vivi até agora»

Fiz a mesma contagem e - se a media de esperança de vida for 80 anos - Apenas vivi menos de um terço ....

Porém...tudo pode ser diferente...
Ainda assim, "cultivo" a expectativa..